A importância do Contar Histórias para a elaboração de uma prática de escrita consistente.

0
Blog

O poder da palavra escrita é terapêutica, conforta o espírito.  Após escrever colocar no papel meus sentimentos, sinto meu coração leve… tão leve quanto o papel!” Inoema Nunes Jahnke, poetisa gaúcha.

Muitas vezes observamos a dificuldade do aluno ao receber uma proposta de intervenção para desenvolver um contexto escrito, dá-se o nome a esse fato de “Síndrome da folha em branco” visitar nossos alunos no momento da sua escrita. O porquê isso acontece? Podemos construir caminhos que venham a amenizar esse fato e ressaltar uma escrita/argumentação potentes? Assim, começo alguns anos antes de entrarem para os desafios que cercam nossos adolescentes a partir dos Anos Finais e Ensino Médio de modo mais pontual. 

Os estímulos recebidos por meio de uma Contação de História e os meandros de existentes nas narrativas, ainda quando pequena, elevam o padrão de pensamento das crianças, levando a compreensão de palavras e conceitos elaborados e sua carga imagética e imaginativa, gera ainda em sua infância sinapses neurais capazes de ampliar seu repertorio oral – quanto a fala e comunicação, bem como sua capacidade de articular ideias de modo empático e resiliente. Sendo nutrida com uma capacidade de reflexão, após cada história narrada que a levará a construção um universo com maior significação, o resultado disso, um poder em relacionar e registar de forma bastante efetiva suas ideias.

Mas, como um universo tão lúdico pode interferir ou ajudar na escrita? 

Ao estimular a criança a observar personagens e seus contextos, bem trabalhado a empatia e o diálogo com a história, futuramente, a relação com a proposta de intervenção ficam mais claras e as ideais são fundamentas com maior clareza, norteando escritas relevantes de ajuda para quem está em seu entorno. 

Outro fator importante, é o aumento na concentração e foco, enquanto realiza tal atividade, o aumento da segurança no momento da escrita, e esse leitor rememora para o seu momento de registro as significações relacionais, de outros textos vivenciados, carregados de informações do passado experimentado e do presente.

Em vista disso, todo aquele que escreve carrega suas percepções, dividi um pouco de si com o outro, e fica aberto para que o outro partilhe consigo suas percepções também. O ato de escrever é tão essencial, pois revela e firma o propósito de uma cultura, aponta para uma direção, firma marcos fundamentais e consolidam histórias.

Profª Grasiela Neves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.